A juventude não foi feita para o prazer, mas sim para o heroísmo!

Vamos lutar pela Vida desde a fecundação até a morte natural!

Não se esqueça! A força do Mal está na fraqueza do Bem! Então vamos defender o Direito à VIDA desde a fecundação(nascituro) até a morte natural! Meus caros eleitores paulista precisamos de 300 mil assinaturas, para que estas petições sejam levadas ao Poder Público do Estado de São Paulo para que se assegure o Direito à Vida. Acesse e assine a petição: www.saopaulopelavida.com.br agora mesmo! Hoje o Estado de São Paulo! Amanhã o Brasil! Por que não depois de amanhã o mundo!?

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Estudantes de Curitiba reagem contra pornografia em telefones públicos


"Um mal que todo mundo vê, mas não faz nada",
declarou Jessé, organizador da reação.

Ivan Rafael de Oliveira


Em Curitiba, 20 universitários se reuniram para retirar cartões e adesivos de pornografia que infestam os orelhões do centro da cidade, noticiou o site de notícias G1 PR (27/6/11).



O estudante Jessé Victor da Rocha, organizador da reação, disse que a ideia surgiu depois de um trabalho realizado em sala de aula sobre lições humanas, onde o foco principal era o de rever o mal social. “Um mal que todo mundo vê, mas não faz nada”, declarou Jessé.

Em reportagem da RPC TV são apresentados diversos exemplos da indignação da população referente a essas propagandas. Inclusive pelo motivo de que é freqüente que crianças recolham tais materiais e até mesmo efetuem ligações aos telefones indicados.

Os voluntários percorreram dois quilômetros para “limpar” os aparelhos telefônicos, tendo recolhido quilos de material pornográfico. O problema infelizmente não se encerrou, pouco depois de retirados, outros cartões foram postos nos mesmos locais.

O delegado do 1° distrito de Curitiba, Vinicius Martins, disse que ainda faltam leis mais severas contra os infratores, pois a legislação atual não é o suficiente para desestimular esse crime.

A população da cidade ficou muito grata aos voluntários que tiveram coragem de não se acomodar com a situação.

Fonte: Site IPCO, de 3 de julho de 2011.

Nenhum comentário: