A juventude não foi feita para o prazer, mas sim para o heroísmo!

Vamos lutar pela Vida desde a fecundação até a morte natural!

Não se esqueça! A força do Mal está na fraqueza do Bem! Então vamos defender o Direito à VIDA desde a fecundação(nascituro) até a morte natural! Meus caros eleitores paulista precisamos de 300 mil assinaturas, para que estas petições sejam levadas ao Poder Público do Estado de São Paulo para que se assegure o Direito à Vida. Acesse e assine a petição: www.saopaulopelavida.com.br agora mesmo! Hoje o Estado de São Paulo! Amanhã o Brasil! Por que não depois de amanhã o mundo!?

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Grupos de pressão adiam votação do Marco Civil da Internet




                Márcio Coutinho

                O leitor deve se lembrar do que aconteceu às vésperas da eleição de 2010, quando o PT já comemorava como certa a vitória da então candidata Dilma Rousseff no primeiro turno: uma parcela significativa do eleitorado temeu que a candidata legalizasse o aborto em seu governo – temor, aliás, que em boa medida se tornou realidade.

À época, a própria candidata Dilma qualificou as abundantes matérias que circulavam pelas redes sociais da Internet de "submundo da política" que através de "boatos" espalhavam que ela era favorável ao aborto...

Ao que tudo indica, o governo da presidente quer evitar o mesmo desconforto para as eleições de 2014, razão pela qual vem tentando, mais insistentemente do que nunca, impor a toque de caixa a votação do Marco Civil da Internet (PL 2126/2011).

Como sabemos, tal projeto visa a estabelecer “princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil”. Mas, para o leitor atento, a “aprovação do Marco Civil pode ser um passo importante para que a Internet, seu conteúdo e seus usuários fiquem controlados pelo governo petista”, declarou o conhecido sacerdote e ativista pró-vida, o Pe. Lodi da Cruz.

Grupos ou pessoas que defendem a família e lutam contra o aborto, o “casamento” homossexual e a crescente onda de totalitarismo e controle estatal abusivo, vêm se mobilizando por se sentirem ameaçados de perder mais esta liberdade de manifestar seu pensamento através das redes sociais da Internet. Estranha democracia, esta do PT...


Eis a razão pela qual tais grupos vêm cobrando dos parlamentares, seus representantes, o arquivamento do referido projeto. Um exemplo frisante disso é o movimento Brasil pela Vida, que através de seu site está promovendo um envio maciço de e-mails que em poucos dias totalizaram já mais de 33.000 mensagens.

            Tal é o alvoroço que esses protestos estão causando nos meios governamentais, que segundo o site IG, o “Planalto trabalha nos bastidores para prorrogar a apreciação do texto com medo de um racha na Câmara. Afinal, os deputados se encontram mais próximos de suas bases eleitorais...

Fonte: ABIN, DEZ 2013

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Urgente: a “lei da homofobia” (PLC 122) será votada amanhã

Edson Carlos de Oliveira
 
O novo texto do PLC 122, a chamada “lei de homofobia”, está em pauta para ser votado amanhã, dia 20 de novembro, na Comissão de Direitos Humanos do Senado.
O que ocorrerá se esse projeto virar lei?
Uma mãe não poderá cumprir seu dever de resguardar a moral de seus filhos. Pois se uma mãe quiser contratar uma babá, e aparecer uma candidata lésbica, a mãe não pode sequer dificultar sua contratação pelo fato da candidata ser lésbica, sob pena de ficar até três anos atrás das grades.
Não poderá mais haver colégios de acordo com a lei de Deus. Pois se o diretor de uma escola católica impedir a contratação de um homossexual declarado e militante, 3 anos de cadeia!
E o que será do reitor do seminário que não aceitar um candidato homossexual? O que será da paróquia que impedir a contratação de um funcionário assim?

Ligue agora mesmo para o Senado e proteste!
O telefonema ao AloSenado é gratuito:  0800 61 22 11.

A mentira da concessão da liberdade de expressão dentro das igrejas

A nova redação visa inserir na Lei 7.716, que cuida de punir crimes resultantes de discriminação ou preconceito, a punição também aos crimes praticados por discriminação de orientação sexual e identidade de gênero.
De acordo com declarações do senador relator do projeto, Paulo Paim (PT), à Agência Senado, será permitido criticar a prática homossexual somente dentro dos “templos religiosos”.
Para ele, “poderá ser preso aquele que praticar crime de racismo, de discriminação contra idoso, contra deficiente, contra índios e em função da orientação sexual. Todo crime de agressão, seja verbal ou física, vai ter que responder um processo legal”.
Mas Paim fez uma concessão enganadora: “Dentro dos cultos religiosos, temos que respeitar a livre opinião que tem cada um. Por exemplo, você não pode condenar alguém por, num templo religioso, ter dito que o casamento só deve ser entre homem e mulher. É uma opinião que tem que ser respeitada.”
A livre expressão agora está restringida a um gueto que eles chamam de “templo religioso”?
NÃO! Nem isso.
No texto redigido pelo senador Paulo Paim, é proibido “induzir ou incitar a discriminação ou o preconceito (…) de orientação sexual e identidade de gênero” e penaliza quem “restringir a manifestação de afetividade de qualquer pessoa em local público ou privado aberto ao público, resguardado o respeito devido aos espaços religiosos.”
Apesar do que afirmou Paulo Paim à Agência Senado, o texto do projeto não diz que os religiosos poderão falar em seus templos contra a prática homossexual, mas sim que poderão coibir a “manifestação de afetividade” homossexual em suas igrejas. Só isso.

 Ligue agora mesmo para o Senado e proteste!
O telefonema ao AloSenado é gratuito:  0800 61 22 11.

domingo, 17 de novembro de 2013

O Brasil como a China: governo decide monitorar sites que não se alinham com suas posições – reaja agora




O título acima poderá ser verdadeiro se os deputados aprovarem o “Marco Civil da Internet”
Leia as informações abaixo e mande seu protesto fácil e rápido à Câmara dos Deputados


Apesar de todos os males causados por meio da internet, uma coisa é positiva: através dela têm-se reunido os que se preocupam com o rumo que vão tomando os acontecimentos no Brasil. Grupos ou indivíduos que defendem a família, que lutam contra o aborto e contra a crescente onda de totalitarismo e controle estatal abusivo, estão ameaçados de perder gradualmente seu ponto de encontro habitual. Falo do chamado “Marco Civil da Internet”, promovido a toque de caixa pelo governo federal, através de seu Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e de sua bancada de parlamentares. Está tramitando agora na Câmara dos Deputados.

Como diz esclarecedor artigo do Pe. Lodi, o Projeto de Lei 2126/2011, enviado à Câmara pela Presidente da República, pretende ser um "marco" na Internet. Não um marco penal, definindo crimes e penas. Por enquanto, apenas um marco "civil", estabelecendo "princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil". No futuro, o governo pretende criar o "marco penal".(...) A aprovação do Marco Civil pode ser um passo importante para que a Internet, seu conteúdo e seus usuários fiquem controlados pelo governo petista.

Muitos ainda se recordam do que aconteceu às vésperas da eleição de 2010. As esquerdas já comemoravam uma vitória certa da então candidata Dilma Rousseff no primeiro turno, o que não se deu devido ao temor de uma aprovação do aborto na gestão da candidata petista. Sua campanha eleitoral precisou, após o primeiro turno, acalmar as reações pró-vida para alcançar o êxito no segundo turno. E tudo se deveu, segundo a própria candidata do PT, "ao submundo da política", que através da internet espalhava "boatos" de que a candidata tinha posição favorável ao aborto. (29/09/10)¹

Será esse “submundo” que o governo agora deseja eliminar, para evitar futuras reações surgidas em virtude do seu frágil “calcanhar de Aquiles”, a internet? Por aí se entende a necessidade de criar-se uma “Bota de Ferro” que regule a internet para proteger de suas vulnerabilidades...


Veja os pontos abaixo, que constam do projeto:

Art 2º “A disciplina do uso da Internet no Brasil tem como fundamentos:
I – o reconhecimento da escala mundial da rede; [enigmático!]
II – os direitos humanos e o exercício da cidadania em meios digitais; [como sabemos, ‘direitos humanos’ no linguajar esquerdista quer dizer ‘aborto, lei da homofobia, mordaça aos cristãos nos temas que interessem ao governo, etc. Tudo isso está bem explícito no Programa Nacional de Direitos Humanos – 3, decretado pelo Presidente Lula e pela então ministra da Casa Civil...]
III – a pluralidade e a diversidade. [mais uma vez esses vocábulos, no linguajar das esquerdas, referem-se à defesa da agenda homossexual.]

É interessante notar o que diz o editorial do jornal americano Financial Times (11/11/13)² sobre o dito “Marco Civil da Internet” brasileiro: “(...)E também faria mal à liberdade da Internet mundial. O mundo está dividido entre os países, liderados pelos Estados Unidos, que defendem uma Internet livre, e aqueles --como China, Rússia e Irã-- que mantêm intranets nacionais a fim de ajudar a garantir o controle político.”

Não estará montada uma estratégia do atual governo para gradualmente impedir a ação dos grupos que denunciam, dentro da lei, as medidas totalitárias e contrárias à família? 

Brasileiro, cuidado! Brasileiro, atenção!


Em menos de dois minutos, sua mensagem estará enviada. Faça já sua parte, clicando aqui.

P.S.: Para ter uma noção mais abrangente dos perigos do “Marco Civil da Internet”, sugerimos a leitura do artigo do Pe. Lodi da Cruz, em: http://naomatar.blogspot.com.br/2012/12/o-perigo-do-marco-civil.html

 Notas:
¹ Cfr. Senado notícias, dia 30/09/2010.
² Tradução publicada na Folha Online, dia 12/11 p.p.





terça-feira, 12 de novembro de 2013


 
Prezados Amigos

Temos a grata satisfação de convidá-lo(a), bem como a seus familiares e amigos, a participar da conferência do renomado historiador italiano, Prof. Roberto de Mattei, na segunda semana de dezembro de 2013, entre os dias 8 e 15, sobre os bastidores do Concílio Vaticano II.

O evento realizar-se-á nas seguintes cidades:

8 de dezembro – Rio de Janeiro - no Windsor Flórida Hotel, na Rua Ferreira Viana, 81 – bairro Flamengo. Faça já sua inscrição


9 de dezembro – Recife – Pernambuco, no auditório do Círculo Católico de Recife – Rua Riachuelo, 105 – 10 º andar. Faça já sua inscrição


10 de dezembro – Brasília – Lançamento do livro, na Livraria Cultura. Clique aqui e faça sua reserva


12 de dezembro – São Paulo – Conferência no Club Homs, Av. Paulista, 735 . Clique aqui e faça sua inscrição.


Escolha sua cidade e Faça já sua inscrição. No dia da conferência haverá, para os participantes, sorteio dos livros: O Concílio Vaticano II – uma história nunca escrita e Apologia da Tradição.


***

Desde sua convocação até os dias presentes, o Concílio Vaticano II suscitou inúmeras controvérsias que certamente darão margem a discussões futuras.

Para que possamos conhecer os bastidores desse marcante evento na História da Igreja, onde conservadores e progressistas travaram uma grande luta, o prof. de Mattei, como historiador, oferece um contributo ímpar em sua obra “O Concílio Vaticano II – uma história nunca escrita”, através de uma rigorosa reconstrução do Concílio em suas raízes e consequências, baseada sobretudo em documentos, arquivos, diários, correspondências e testemunhos daqueles que foram os seus protagonistas.

No Brasil, o tema vem tomando corpo, e merece de nossa parte uma singular atenção. Para compreender seu desenrolar até o presente momento será de grande valia ouvirmos a abordagem objetiva e clara do renomado historiador italiano, nesta oportunidade única e inédita que se realizará na nossa Terra de Santa Cruz.

***

O historiador e jornalista italiano Roberto de Mattei, nascido em 1948, é um dos mais destacados líderes católicos contemporâneos. É professor de História da Igreja e do Cristianismo na Universidade Europeia de Roma, na qual é o coordenador da Escola de Ciências Históricas. Entre 2004 e 2011 foi por duas vezes vice-presidente do principal organismo estatal italiano de apoio às ciências, o Conselho Nacional de Pesquisa. Membro do Conselho de Administração do Instituto Histórico para a Idade Moderna e Contemporânea e da Sociedade Geográfica Italiana, ele colabora com o Comitê Pontifício de Ciências Históricas. Foi agraciado com a insígnia da Ordem da Santa Sé de São Gregório Magno, em reconhecimento pelos seus serviços prestados à Igreja.


Em 2010, Roberto de Mattei publicou o livro O Concílio Vaticano II – Uma história nunca escrita, o qual lhe valeu o mais prestigioso prêmio italiano para livros históricos: o Acqui Storia/2011.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Divulgue e Participe da Palestra do renomado Prof. Roberto de Mattei, "Conheça os bastidores do Concílio Vaticano II"

http://www.simsim-naonao.com.br/clientes/ipco/acao/inscr/partevt.php?Camp=3138



Prezado amigo(a), da Ação Jovem pela Terra de Santa Cruz, Salve Maria!

Temos a grata satisfação de convidá-lo(a), bem como a seus familiares e amigos, a participar no dia 8 de dezembro de 2013, domingo às 16h, na cidade do Rio de Janeiro, da conferência do renomado historiador italiano, Prof. Roberto de Mattei, sobre os bastidores do Concílio Vaticano II.

O evento se realizará no Windsor Flórida Hotel, na Rua Ferreira Viana, 81bairro Flamengo, apenas 1 minuto da estação Catete do Metrô. Há estacionamento no local e nas proximidades.

Faça já sua inscrição e concorra ao sorteio dos livros: O Concílio Vaticano II – uma história nunca escrita e Apologia da Tradição Entrada Franca.

Não perca: Domingo, 8 de dezembro, às 16:00h, no Windsor Flórida !

***

Desde sua convocação até os dias presentes, o Concílio Vaticano II suscitou inúmeras controvérsias que certamente darão margem a discussões futuras.

Para que possamos conhecer os bastidores desse marcante evento na História da Igreja, onde conservadores e progressistas travaram uma grande luta, o prof. de Mattei, como historiador, oferece um contributo ímpar em sua obra “O Concílio Vaticano II – uma história nunca escrita”,  através de uma rigorosa reconstrução do Concílio em suas raízes e consequências, baseada sobretudo em documentos, arquivos, diários, correspondências e testemunhos daqueles que foram os seus protagonistas.

No Brasil, o tema vem tomando corpo, e merece de nossa parte uma singular atenção. Para compreender seu desenrolar até o presente momento será de grande valia ouvirmos a abordagem objetiva e clara do renomado historiador italiano, nesta oportunidade única e inédita que se realizará na nossa Terra de Santa Cruz.

Para isto, basta se inscrever, clique aqui!

 ***
O historiador e jornalista italiano Roberto de Mattei, nascido em 1948, é um dos mais destacados líderes católicos contemporâneos. É professor de História da Igreja e do Cristianismo na Universidade Europeia de Roma, na qual é o coordenador da Escola de Ciências Históricas. Entre 2004 e 2011 foi por duas vezes vice-presidente do principal organismo estatal italiano de apoio às ciências, o Conselho Nacional de Pesquisa. Membro do Conselho de Administração do Instituto Histórico para a Idade Moderna e Contemporânea e da Sociedade Geográfica Italiana, ele colabora com o Comitê Pontifício de Ciências Históricas. Foi agraciado com a insígnia da Ordem da Santa Sé de São Gregório Magno, em reconhecimento pelos seus serviços prestados à Igreja.

Em 2010, Roberto de Mattei publicou o livro O Concílio Vaticano II – Uma história nunca escrita, o qual lhe valeu o mais prestigioso prêmio italiano para livros históricos: o Acqui Storia/2011