A juventude não foi feita para o prazer, mas sim para o heroísmo!

Vamos lutar pela Vida desde a fecundação até a morte natural!

Não se esqueça! A força do Mal está na fraqueza do Bem! Então vamos defender o Direito à VIDA desde a fecundação(nascituro) até a morte natural! Meus caros eleitores paulista precisamos de 300 mil assinaturas, para que estas petições sejam levadas ao Poder Público do Estado de São Paulo para que se assegure o Direito à Vida. Acesse e assine a petição: www.saopaulopelavida.com.br agora mesmo! Hoje o Estado de São Paulo! Amanhã o Brasil! Por que não depois de amanhã o mundo!?

domingo, 30 de outubro de 2011

A Fé explicada. Quem ama, conhece! E quem conhece, ama!

Nº 10
  
Por que estudar a Religião? - X
  
Na edição de "fevereiro" desta seção, publicamos um texto sobre a razão de haver uma só Religião verdadeira. Na presente, do mesmo autor,* transcrevemos a razão pela qual há mistérios na natureza e na Religião.
 
Deus nos revela mistérios, para pedir-nos a humilde submissão de nosso espírito pela fé, a de nosso coração pelo amor, e a de nossa vontade pela submissão a suas leis

No âmbito da natureza há grande número de coisas ocultas, cuja existência é muito certa, mas que os homens não podem compreender, porque a inteligência humana é imperfeita. A razão, como o olho, tem limites além dos quais não consegue ver.

Mais ainda: como nem todas as inteligências têm a mesma capacidade, resulta que há verdades compreendidas por uns, mas que permanecem ocultas para outros, que nelas crêem sem compreendê-las. Só Deus, inteligência infinita, vê claramente todas as coisas, e unicamente para Ele não há mistérios.

O mistério encontra-se em toda parte na criação. O homem, por sábio que seja, não compreende tudo de todas as coisas, cusa essência lhe é impenetrável. O que são a matéria, a atração, a luz, o calor, a eletricidade? Mistérios. O que é a vida? Como um grão de trigo produz uma espiga, e uma semente pequena transforma-se em sangue, nervos e ossos? Como a vontade tem domínio sobre os órgãos? Como a palavra comunica as idéias?

Não é de surpreender que a Religião tenha seus mistérios

Seria mais surpreendente se a Religião não tivesse mistérios. A Religião tem por autor e objeto a Deus, Ser infinito. Mas, como o infinito é inabarcável para toda inteligência criada e limitada, não deve surpreender-nos que haja mistérios na Religião. Por isso é razoável crer nos mistérios da Religião, posto que é Deus, a verdade por essência, que no-la revelou.

Se é razoável que uma criança, fundada na palavra de seu pai, creia em coisas que não compreende; que um ignorante aceite, fundado na palavra dos sábios, as verdades científicas a que sua inteligência não alcança – não é muito mais razoável crer nos mistérios revelados por Deus, que jamais pode enganar-se e enganar-nos?

Deus nos revela mistérios, primeiro para pedir-nos a humilde submissão de nosso espírito pela fé, como nos solicita a de nosso coração pelo amor, e a de nossa vontade pela submissão a suas leis.

Já comprovamos as seguintes verdades:
1 - Existe um Deus eterno, criador e soberano Senhor de todas as coisas. A razão e a consciência proclamam irresistivelmente a existência deste Ser supremo e infinitamente perfeito. Para os católicos, a este testemunho junta-se o da Revelação, que é mais seguro ainda, porque é divino. Deus se manifestou, falou, fez milagres;
2 - Deus, com sua providência, cuida de suas criaturas, particularmente do homem, seu filho predileto;
3 - O homem, composto de corpo e alma espiritual, livre, imortal, foi criado por Deus para que O conheça, O ame e O sirva nesta vida, e O goze na vida futura. Tem, por conseguinte, deveres que cumprir para com seu Criador e Pai;
4 - Toda religião encerra um dogma, uma moral e um culto. É impossível ao homem viver como ser animal, sem render a Deus este tríplice culto;
5 - Só pode haver uma Religião verdadeira, porque a verdade é uma só e rechaça o erro. Logo, só pode haver uma Religião boa, porque só é bom o que é verdadeiro. E Deus não pode ser honrado pelo erro e pela mentira.
___________
* Tradução de trechos do livro La Religión Demostrada, do Padre P.A. Hillaire, Editorial Difusión, Buenos Aires, 8ª edição, 1956, pp. 140 e ss.

Fonte: Revista Catolicismo, abril de 2010, Leitura Espiritual

Nenhum comentário: